Notícias

Webinário da DPU analisa historicamente o espaço das mulheres na política brasileira

Brasília – “A conquista dos direitos das mulheres é um primeiro passo, uma fase na luta, e não a vitória democrática. Os efeitos dos direitos conquistados é que realmente nos importa”, essa foi a principal mensagem da professora e pesquisadora Viviana Mendes Ribeiro no webinário “Mulheres na Política – Cenário Brasil”. O evento on-line foi realizado pela Defensoria Pública da União (DPU), nesta terça-feira (29), no canal do YouTube da instituição.

nac webinario gtmulheresDe acordo com Ribeiro, atualmente o Brasil conta com o aumento da participação feminina na política, propiciado por normas legislativas. No entanto, essas iniciativas só irão funcionar de fato se forem acompanhadas por movimentos sociais e políticos que garantam a aplicação das leis para prevenir, reprimir e combater a violência política contra a mulher.

A professora fez uma relação entre a violência que as mulheres sofrem atualmente com as raízes da civilização ocidental, quando as mulheres nem sequer participavam das discussões políticas. Segundo ela, voltar no tempo histórico é essencial para entender sobre a formação da sociedade autoritária brasileira.

“O início da nossa sociedade é constituído por práticas patriarcalistas e bélicas. É um tipo de formação social em que a criação de instituições passa por inúmeros obstáculos que nos possibilita entender o aumento da violência contra as mulheres no cenário político atual”, disse.

Segundo Ribeiro, a separação do espaço público e do espaço privado vem resultando em uma organização social, econômica e jurídica segregadora. “A posição das mulheres ficou determinada a uma função familiar orientada para a reprodução. Essa marca da sociedade romana continuou a se perpetuar pela história”, disse.

Além disso, segundo a professora, os textos históricos incluem as mulheres no espaço público somente pela via da perversão da política, em que entravam sorrateiramente no mundo político e atuavam pelo contexto da tirania. Já na era moderna, a inquisição europeia reuniu e atualizou a tradição imagética do passado, mas continuou a excluir as mulheres dos espaços políticos e continuou a atribuir a elas a função reprodutiva. Segundo a pesquisadora, o machismo e a misoginia perpetuam as hierarquias sociais.

A senadora Rose de Freitas (MDB-ES) também participou do debate. Compartilhou suas experiências na vida política e falou sobre a participação da mulher nos espaços de poder. “Precisamos nos unir para ocupar os espaços que merecemos. Já se passaram 90 anos desde que a mulher votou pela primeira vez no Brasil e ainda não há proporcionalidade nos cargos. Ainda é ínfima nossa parcela de poder. Somos maioria na população, podemos ser maioria no Congresso Nacional, na presidência de empresas e em lugares importantes”, refletiu a senadora.

O webinário foi mediado e promovido pela defensora pública federal Liana Dani, que representa o Grupo de Trabalho Mulheres da DPU.

GT Mulheres
Desde 2018, o Grupo de Trabalho Mulheres passou a ter atuação mais ampla na promoção e defesa dos direitos das mulheres. O GT atua no reconhecimento e defesa dos direitos econômicos, sociais, culturais e ambientais das mulheres. Além disso, são realizadas ações de monitoramento de discriminação e violação de direitos das mulheres e a disseminação de conhecimento do direito universal à educação, à saúde e à proteção previdenciária às mulheres, entre outras atividades.

Assista o Webinário “Mulheres na Política – Cenário Brasil” na íntegra:

Assessoria de Comunicação Social
Defensoria Pública da União