Notícias

Indígenas venezuelanos de etnia Warao recebem mutirão de regularização migratória em MG

Belo Horizonte – A Defensoria Pública da União (DPU), em conjunto com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), a Divisão de Assistência Judiciária da Universidade Federal de Minas Gerais (DAJ-UFMG) e a Cátedra Sérgio Vieira de Melo da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), promove no mês de fevereiro um mutirão para a regularização migratória de aproximadamente 60 indígenas venezuelanos de etnia Warao que vivem em Belo Horizonte (MG).

O grupo chegou na capital em setembro de 2020 e se encontra, desde então, em um abrigo organizado pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Além disso, estão com a regularização migratória pendente ou indocumentados. Por meio dessa ação, as instituições envolvidas buscam facilitar o acesso do povo indígena a direitos garantidos por lei.

O mutirão será realizado em três etapas, todas no mês de fevereiro: o ACNUR promoverá o treinamento da equipe participante, incluindo informações sobre a cultura Warao; posteriormente, haverá o preenchimento dos formulários, de forma presencial, previsto para os dias 17 e 18 no abrigo onde o grupo se encontra; por fim, foi agendado um mutirão de atendimento nos dias 21 e 22 com a Polícia Federal para regularizar a situação.


Assessoria de Comunicação Social
Defensoria Pública da União