Notícias

Funai ouvirá demandas de indígenas impactados pela hidrelétrica de Belo Monte

Altamira – Indígenas do Xingu impactados pela construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, serão ouvidos pela Fundação Nacional do Índio (Funai). As vozes ganharam direito de fala depois que a Defensoria Pública da União (DPU) mandou um ofício para o órgão indigenista requerendo atenção aos povos nativos.

No documento, a DPU pediu informações detalhadas sobre a realização de uma oitiva nas terras indígenas e nas comunidades desaldeadas impactadas pela hidrelétrica. Ainda, perguntou qual será a composição da equipe técnica responsável pela oitiva; quais pontos serão discutidos durante os encontros; o cronograma para realização das atividades; e como será feita a divulgação entre os povos indígenas.

Em resposta, a Funai afirmou que “os princípios básicos de diálogo são mesmo necessários no trabalho indigenista” e considerou pertinente a realização da oitiva. Também disse que o cronograma depende da pactuação entre as equipes técnicas e os povos indígenas e que por isso ainda não consegue especificar as datas.

“Informamos que, dentro das limitações técnicas da Funai, estamos trabalhando para o desenvolvimento de possibilidades metodológicas a serem discutidas e acordadas com os povos impactados, resultando em planos de trabalho para a avaliação das condicionantes por terra indígena, como parte da análise de cumprimento das medidas de mitigação e compensação relativos à usina hidrelétrica de Belo Monte”, disse a Funai.

A DPU segue acompanhando o processo por meio dos defensores públicos federais Elisângela Machado, Francisco Nóbrega, Ben-hur Cunha e André Porciúncula, que assinaram o ofício.

Assessoria de Comunicação
Defensoria Pública da União