Notícias

DPU participa de encontro com lideranças de aldeias para tratar sobre saúde indígena

Amapá – Entre os dias 24 e 25 de agosto, homens e mulheres do Conselho de Aldeias Waiãpi, localizadas no centro-oeste do Amapá, estiveram reunidos com representantes da Defensoria Pública da União (DPU) e do Ministério Público Federal (MPF) para reivindicar melhores condições de saúde à comunidade.

Os representantes do povo Waiãpi demandam acesso a água tratada, medicamentos, profissionais de saúde, construção de postos de atendimento, realização de exames e diversos outros serviços que estão sucateados na região. Também solicitam mais transparência com relação à execução do orçamento do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI).

O defensor público federal Fábio Sampaio acompanhou a reunião e reforçou que os indígenas podem encontrar na Defensoria Pública da União um local de acolhimento. “Uma das principais atribuições da DPU é justamente a defesa de grupos sociais vulneráveis, em especial as comunidades e os povos indígenas”, lembrou. “A DPU já possui relação com o povo Waiãpi. Agora, vamos pensar soluções e estratégias pertinentes para solucionar essas demandas de saúde”, afirmou.

De acordo com o defensor, as estratégias podem ser tanto extrajudiciais, como a realização de reuniões junto ao DSEI; quanto judiciais, como o envio de ofícios ou o ajuizamento de ações individuais ou coletivas. Para Sampaio, o estreitamento dos laços com o povo indígena é essencial para acolher as demandas e entender as circunstâncias de vulnerabilidade em que eles estão inseridos.

“O povo Waiãpi tem muito a ensinar e a contribuir com a sociedade em geral, com seu modo de vida, de subsistência, de integração, respeito e preservação da natureza”, concluiu Sampaio.

Os Waiãpi

Homologada e registrada em 1996, a Terra Indígena Waiãpi, fica localizada entre os municípios amapaenses de Pedra Branca do Amapari, Laranjal do Jari e Mazagão. Atualmente, 1,4 mil indígenas vivem em 95 aldeias espalhadas pelo território.

Em 1994, o povo Waiãpi criou seu próprio Conselho, o Apina. O principal objetivo do grupo é ajudar a lutar pela demarcação da Terra Indígena e outros direitos.

Assessoria de Comunicação Social
Defensoria Pública da União